Brasil 08/09/2020 11:35

Heineken anuncia que vai subir o preço da cerveja na próxima semana

Um único fator controla o preço de quase todos os insumos para a produção de cerveja do grupo Heineken: o dólar.

Um único fator controla o preço de quase todos os insumos para a produção de cerveja do grupo Heineken: o dólar.

A moeda americana se valorizou 33% desde o início do ano, de 4 reais para quase 5,40.

Assim, a Heineken tomou uma decisão: irá corrigir o impacto do custo e ajustar o preço de suas bebidas no Brasil.

“Teremos um novo preço a partir da próxima semana”, disse o CEO do grupo cervejeiro, Maurício Giamellaro.

Ele participou da série Exame Talks de lives no canal do Youtube da EXAME, em entrevista à repórter Beatriz Correia.

Cerca de 70% dos insumos usados na produção da cerveja são precificados em dólar, como malte e lúpulo, principais ingredientes das cervejas do grupo, e até o vidro das embalagens.

Para a produção da cerveja de marca Heineken, o malte usado é importado. Mesmo no caso do malte nacional, usado em marcas como Amstel, há impacto da moeda estrangeira, já que o preço do grão é regulado globalmente.

“Sabemos que o preço é muito importante e não se constrói um produto sem um bom posicionamento de preço”, disse o executivo. Por isso, aumentar o preço dos produtos “não é uma coisa que temos prazer de fazer, mas é uma dinâmica do mercado que precisamos seguir”.

Deu em Exame

Ricardo Rosado

Descrição Jornalista