Casa 10/08/2020 13:26

Por menos de R$ 300 mil você compra um vilarejo na Espanha

Rosy Costoya é veterinária, empreendedora e, como ela mesmo diz, um pouco meiga. Na região da Galícia, meiga significa bruxa ou mulher sábia, sobretudo aquelas que vivem na zona rural e dominam as ervas e poções locais.

Rosy Costoya é veterinária, empreendedora e, como ela mesmo diz, um pouco meiga. Na região da Galícia, meiga significa bruxa ou mulher sábia, sobretudo aquelas que vivem na zona rural e dominam as ervas e poções locais.

“Venho de um pequeno vilarejo e sou muito apegada à minha terra”, afirma.

Costoya é apaixonada pelo litoral selvagem e a vegetação campestre da Galícia, na costa noroeste da Espanha. Mas a região enfrentou décadas de êxodo rural, o que levou ao despovoamento.

“Meu pai era fazendeiro e, quando criança, eu costumava passear com ele pelos pequenos vilarejos que estavam sendo abandonados”, relembra.

Hoje, a baixa taxa de natalidade e o envelhecimento da população espanhola – assim como a infraestrutura precária – atingiram em cheio a Galícia.

A região possui 3.562 vilarejos abandonados, e esse número aumenta a cada semana, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística da Espanha.

Diante deste cenário, Costoya, de 50 anos, e seu marido, Mark Adkinson, nascido no Reino Unido, abriram um negócio que visa ajudar a resolver esse problema: eles vendem vilas inteiras na tentativa de trazer a população de volta a esses povoados abandonados.

Deu na BBC

Ricardo Rosado

Descrição Jornalista