Dinheiro 31/07/2020 11:19

Pediu dinheiro ao Governo para pagar funcionários e comprou uma Lamborghini

Um homem da Flórida (EUA) foi acusado de fraude bancária após mentir para conseguir empréstimos destinados a ajudar pequenas empresas durante a pandemia do coronavírus e gastar o dinheiro recebido em artigos de luxo, incluindo uma Lamborghini, segundo queixa criminal analisada pelo BuzzFeed News.

Um homem da Flórida (EUA) foi acusado de fraude bancária após mentir para conseguir empréstimos destinados a ajudar pequenas empresas durante a pandemia do coronavírus e gastar o dinheiro recebido em artigos de luxo, incluindo uma Lamborghini, segundo queixa criminal analisada pelo BuzzFeed News.

Os promotores federais disseram que David Tyler Hines, de 29 anos, solicitou aproximadamente US$ 13,5 milhões em fundos do programa Paycheck Protection Program, que foi criado em março para conceder empréstimos para pequenas empresas pagarem os funcionários durante a pandemia.

O Congresso americano aprovou US$ 349 bilhões na primeira rodada de empréstimos do programa PPP em março, e mais de US$ 300 bilhões na segunda rodada em abril.

Hines alegou que os fundos seriam destinados a pagar os funcionários de suas empresas, mas os inspetores postais dos EUA disseram que esses funcionários não existiam, ou recebiam apenas uma fração do salário que ele declarou.

Apesar disso, Hines obteve a aprovação de quase US$ 4 milhões em três empréstimos com juros baixos do programa PPP, os quais gastou com despesas pessoais, incluindo roupas, joias, resorts na praia de Miami, sites de namoro e uma Lamborghini Huracán Evo 2020, que custou mais de US$ 318.000, segundo os promotores.

Nos pedidos, Hines alegou que era o gerente ou o presidente de quatro empresas diferentes sediadas em Miami, nas quais disse que empregava 70 pessoas com despesas salariais mensais de US$ 4 milhões, segundo a denúncia. Mas os investigadores disseram que o estado da Flórida não tinha registro de nenhum salário pago aos funcionários de nenhuma das empresas de Hines entre 2015 e o primeiro trimestre de 2020.

A denúncia observa que as avaliações no site Better Business Bureau foram as únicas evidências encontradas na internet para as empresas de Hines.

Deu em BuzzFeedNews

Ricardo Rosado

Descrição Jornalista