Ciência 25/07/2020 09:29

Na expectativa pela aprovação da vacina de Oxford, Fiocruz se prepara para começar produção

Os olhos do mundo estão voltados para o Rio de Janeiro, em função da possibilidade da vacina contra o Coronavírus, que está sendo desenvolvida pela universidade de Oxford, no Reino Unido ser 100% aprovada nos próximos meses.

Os olhos do mundo estão voltados para o Rio de Janeiro, em função da possibilidade da vacina contra o Coronavírus, que está sendo desenvolvida pela universidade de Oxford, no Reino Unido ser 100% aprovada nos próximos meses.

A fábrica de vacinas Bio-Manguinhos, na Fundação Oswaldo Cruz, Zona Norte do Rio, considerada a maior da América Latina, já se prepara para produzir o medicamento contra a doença.

Se tudo correr conforme o cronograma, em dezembro, a Fiocruz vai receber ingrediente farmacêutico ativo (IFA) suficiente para fazer 15,2 milhões doses da vacina.

Após esta etapa, outras 70 milhões de doses de vacina poderão ser produzidas também até o início do ano pela Fiocruz.

A preparação para a produção foi antecipada por conta da gravidade da pandemia, que preocupa o mundo inteiro, mas a distribuição e a imunização da população ainda dependem dos novos testes e da aprovação final.

Atualmente, a vacina de Oxford está na fase 3, a última etapa para determinar se o recurso é eficaz num grande número de pessoas.

A instituição de ensino britânica anunciou nesta semana que os primeiros teste indicam que a vacina é segura e induziu resposta imune ao corpo dos voluntários.

O acordo entre a Fiocruz e a AstraZeneca, farmacêutica que adquiriu a vacina da Universidade de Oxford, foi anunciado no fim do mês passado.

Deu em Diário do Rio
Ricardo Rosado

Descrição Jornalista