Economia 07/07/2020 12:16

Pesquisa indica que 63,93% tiveram perda de renda mensal por conta da pandemia de COVID-19

O Centro de Estudos em Finanças (FGVcef) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP) e a Toluna, fornecedora de insights do consumidor sob demanda, realizaram um estudo sobre a situação financeira dos brasileiros durante a pandemia da COVID-19.

O Centro de Estudos em Finanças (FGVcef) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP) e a Toluna, fornecedora de insights do consumidor sob demanda, realizaram um estudo sobre a situação financeira dos brasileiros durante a pandemia da COVID-19.

Segundo a pesquisa, 63,93% dos entrevistados disseram ter tido perdas na renda em função da crise. Entre eles, a maioria, quase 40%, perderam entre 10% e 30% dos seus rendimentos.

Já 2,61% relataram que perderam toda a renda. Vale ressaltar que entre os 36% que disseram não terem tido sua renda alterada, grande parte é composto por aposentados, assalariados com registro e servidores.

A pesquisa, que entrevistou 806 pessoas de todas as regiões do país, também indica que os mais pobres foram os que mais perderam renda.

Entre os que perderam toda a renda, os mais pobres correspondem a 15%. Para os entrevistados que tiveram sua renda diminuída entre 51% e 70%, novamente 15% eram os mais pobres.

Já os que não tiveram a renda alterada nesse período de pandemia, nota-se que os de maior renda foram os menos afetados.

O estudo indica ainda que a crise econômica, para a maioria (56%), não acarretou aumento das dívidas. Já para os que tiveram aumento de dívidas (44%), a maioria foi por conta de dívidas pré-existentes.

Entre os que aumentaram as dívidas, aqueles com menor renda foram os mais afetados. O contrário ocorre com altos níveis de renda.

Deu no Portal da FGV

 

Ricardo Rosado

Descrição Jornalista