Governo do Estado 04/07/2020 09:25

Covid-19: Prefeituras precisam fazer respeitar as exigência do decreto de abertura

Respeitar e cumprir efetivamente as regras do Plano de Retomada Gradual das Atividades Econômicas iniciado na quarta-feira, dia 1º de julho, é condição fundamental para que não haja retrocesso e que possam ser deflagradas as fases seguintes.

Respeitar e cumprir efetivamente as regras do Plano de Retomada Gradual das Atividades Econômicas iniciado na quarta-feira, dia 1º de julho, é condição fundamental para que não haja retrocesso e que possam ser deflagradas as fases seguintes.

A afirmação é do secretário Adjunto de Saúde Pública do RN, Petrônio Spinelli, feita na entrevista coletiva desta sexta-feira, 03, para apresentação dos dados e ações do Governo do RN no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

“Queremos avançar ou nos arriscar? Esta é a escolha que temos que fazer. Precisamos de unidade e apelamos publicamente às prefeituras de Natal e dos demais municípios, e à sociedade como um todo, para o respeito às regras para continuarmos evoluindo no combate à Covid-19, reduzindo o contágio e as mortes. Não podemos fazer como outros estados que flexibilizaram e depois tiveram que fechar, num efeito sanfona”, declarou Petrônio.

O secretário adjunto enfatizou que as ações do Governo são baseadas em critérios científicos e acrescentou:

“Precisamos garantir que o processo gradual e seguro de retomada das atividades econômicas aconteça, na prática. Não podemos divergir com prefeituras e setores da sociedade. Precisamos fazer a retomada do jeito que prevê o decreto estadual, do jeito que é seguro. Não é hora de sair de casa, de queimar etapas, se precipitar com o funcionamento de atividades que não estão previstas no decreto porque isso pode colocar em risco toda a retomada”.

Spinelli disse que o Governo do RN prossegue acompanhando com rigor as taxas de transmissibilidade e de ocupação de leitos e insistiu “na responsabilidade das prefeituras, das empresas e da sociedade como um todo. O isolamento continua. Sair de casa, só se for para cumprir necessidades essenciais. O respeito às medidas protetivas vai garantir o processo de evolução da retomada”.

Fonte e foto: Assessoria

Ricardo Rosado

Descrição Jornalista