Comportamento 04/07/2020 09:48

Bares lotados indicam que parte da população num tá nem aí para a pandemia

A lei que praticamente acaba com o uso da máscara de proteção facial contra o coronavírus chega justamente no momento em que o país vive uma onda de flexibilização, vista com a retomada de atividades em diversos estados. E a maior preocupação dos especialistas é a mensagem que os vetos do presidente Jair Bolsonaro passam à população neste momento.

A lei que praticamente acaba com o uso da máscara de proteção facial contra o coronavírus chega justamente no momento em que o país vive uma onda de flexibilização, vista com a retomada de atividades em diversos estados.
E a maior preocupação dos especialistas é a mensagem que os vetos do presidente Jair Bolsonaro passam à população neste momento.
Antes mesmo da publicação da lei no Diário Oficial da União, a cidade do Rio de Janeiro exibiu cenas de aglomerações nas ruas durante a reabertura de bares e restaurantes.
As imagens, feitas na zona boêmia do Leblon, apresentavam pessoas sem máscaras e concentradas na porta dos estabelecimentos.
A cidade de São Paulo se prepara para abrir bares, restaurantes e salões de beleza a partir da próxima semana.
As condições são de funcionamento com 40% da capacidade, redução de jornada e funcionamento até, no máximo, 17h.
Ontem, em coletiva, o governador de São Paulo, João Doria, criticou os vetos de Bolsonaro, apesar de ele mesmo estar promovendo a reabertura do comércio.
“Ele foi coerente com ele mesmo. O presidente Bolsonaro não usar máscaras, não recomenda o uso de máscaras, não recomenda isolamento social, adora cloroquina. O presidente Jair Bolsonaro foi o presidente Jair Bolsonaro ao fazer esse veto”, comentou.
Deu no Correio Braziliense
Ricardo Rosado

Descrição Jornalista