Artigo 16/06/2020 09:22

Precisamos voltar (1)- Amaro Sales – Presidente da Fiern

O COVID-19 chegou e alcançou o mundo. No Brasil, desde março, ajudado por alguns fatos gerados pela gestão pública, o coronavírus fez um estrago na economia, tumultuou a política, desmascarou crimes, mudou relações sociais. E o pior: estamos em junho, ele continua presente e permanece desarrumando a vida de muitos.

O COVID-19 chegou e alcançou o mundo. No Brasil, desde março, ajudado por alguns fatos gerados pela gestão pública, o coronavírus fez um estrago na economia, tumultuou a política, desmascarou crimes, mudou relações sociais. E o pior: estamos em junho, ele continua presente e permanece desarrumando a vida de muitos.

Apesar de todos os esforços da ciência, a vacina, mesmo para os mais otimistas, não chegará ao mercado até o final de 2020, portanto, a solução definitiva – lamentavelmente – não estará disponível nos próximos meses. Assim, não há outra alternativa senão tentarmos conviver com o vírus até que tenhamos, de fato, a tão esperada vacina.

Para convivermos com a ameaça diária do coronavírus, precisamos nos acostumar a novos hábitos de vida e um novo modelo de produção. E para retomarmos as atividades – dentro do “novo normal” – vamos ser obrigados a observar procedimentos que desestimulem a disseminação da doença e nos ofereça níveis aceitáveis de segurança para trabalhar e viver.

Precisamos nos preparar! São novos e necessários desafios.

Estamos pensando e discutindo muito sobre o assunto. Já foi amplamente noticiado, inclusive, que a FIERN e as demais Federações (FECOMERCIO, FAERN, FETRONOR), SEBRAE, com apoio de outras instituições (FCDL, FACERN, ACERN) construíram uma proposta que foi aprovada pelo Governo do Estado. Esperamos que, no próximo dia 17 de junho, tenhamos a abertura, aqui no Rio Grande do Norte, de outras atividades econômicas. E, a partir daí, um calendário seja conhecido e que, planejadamente, possamos restabelecer todas as atividades o quanto antes possível.

Com a ajuda de todos, estamos apoiando o grande esforço pelo distanciamento social no nosso Estado. Precisamos baixar a velocidade e o índice de transmissibilidade da Covid-19 e, realmente, o distanciamento social tem sido a maior aposta do Governo do Rio Grande do Norte. Deveríamos investir mais em testagem da população e comunicação. São outros dois eixos relevantes que precisam ser prestigiados, agora e mais adiante.

Evidentemente que as aglomerações, mesmo com a retomada gradual das atividades econômicas, serão evitadas ainda por um bom período. Por outro lado, as lojas, restaurantes, bares, hotéis, indústrias, escritórios estão estudando e já implementando protocolos de prevenção ao coronavírus. Temos plena consciência de que álcool gel, máscaras, água e sabão, distanciamento entre as pessoas, home-office, videoconferências, outros novos métodos de trabalho e outros insumos de higiene e prevenção estão, definitivamente, incorporados ao nosso cotidiano.

Com segurança e esperança, precisamos voltar, uns ajudando aos outros, com a certeza que a nova caminhada exige, pelo menos, planejamento, disciplina e solidariedade.

Amaro Sales de Araújo
industrial, presidente do Sistema FIERN e secretário-geral da CNI

Artigo publicado no jornal Agora RN, no dia 16 de junho de 2020

Ricardo Rosado

Descrição Jornalista