Governo Federal 30/04/2020 15:24

Bolsonaro diz que quase houve “uma crise institucional” por causa de Morais

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que foi “política” a decisão de Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, de anular a nomeação de Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que foi “política” a decisão de Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, de anular a nomeação de Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal.

“Não justifica a questão da impessoalidade. Como o senhor Alexandre de Moraes foi para o Supremo? Amizade com o senhor Michel Temer, ou não foi?”, disse Bolsonaro, em uma referência à indicação de Moraes ao STF em 2017.

Na saída do Palácio da Alvorada na manhã desta 5ª feira (30.abr.2020), antes de embarcar para Porto Alegre (RS), o presidente falou que a AGU (Advocacia Geral da União) vai recorrer da decisão. Também cobrou “rapidez” do ministro para liberar o julgamento da ação no Plenário da Corte.

“Ontem quase tivemos uma crise institucional. Quase. Faltou pouco. Eu apelo a todos que respeitem a Constituição […] Eu não engoli ainda essa decisão do senhor Alexandre de Moraes. Não engoli. Não é essa a forma de tratar 1 chefe do Executivo, que não tem uma acusação de corrupção.”

Assista (17min52s):

Bolsonaro negou querer interferir diretamente no órgão policial. Disse que quer alguém de confiança no cargo. Ramagem é diretor-geral da Abin (Agência Brasileira de Inteligência). Foi nomeado para a PF em substituição a Maurício Valeixo, indicação do ex-ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública).

O ex-diretor-geral foi demitido na última 6ª feira (24.abr.2020) sem o consentimento do ex-juiz federal, que se demitiu em seguida. Com a decisão de Moraes, Ramagem, que havia deixado a direção-geral da Abin, voltou para o cargo.

Bolsonaro cobrou que Moraes impeça Ramagem de continuar à frente da Abin ou então o libere para dirigir a PF. “Se não pode estar na PF, não pode estar na Abin também. No meu entender, uma decisão política, política. E ontem comecei pronunciamento falando da Constituição. Eu respeito a Constituição e tudo tem 1 limite.”

“Agora vai demorar semanas, meses. Espero que [a nova decisão] seja tão rápida quanto a liminar. Eu espero no mínimo isso do senhor Alexandre de Moraes. No mínimo, espero do senhor Alexandre de Moraes rapidez, para a gente poder tomar as providências.” Caso não haja decisão de Moraes, Bolsonaro disse que poderá nomear Ramagem mesmo com a liminar contrária.

O presidente contou que está buscando 1 nome provisório para o cargo. “Estamos discutindo 1 novo nome, uma nova composição, para a gente fazer com que a Polícia Federal realmente agora tenha isenção e ajude o Brasil.”

Deu em Poder360

Ricardo Rosado

Descrição Jornalista