Corrupção 02/10/2018 09:43

“Lula sabia de todas as ilicitudes na Petrobras”, denuncia Palocci

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, levantou parte do sigilo da colaboração premiada em que o ex-ministro Antônio Palocci explica à Polícia Federal como funcionava o esquema de corrupção na Petrobras durante os governos do PT, além de ter detalhado como se dava o loteamento de cargos na estatal para arrecadar recursos de campanha através de contratos superfaturados com empreiteiras.

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, levantou parte do sigilo da colaboração premiada em que o ex-ministro Antônio Palocci explica à Polícia Federal como funcionava o esquema de corrupção na Petrobras durante os governos do PT, além de ter detalhado como se dava o loteamento de cargos na estatal para arrecadar recursos de campanha através de contratos superfaturados com empreiteiras.

Uma das novidades relatadas por Palocci é o fato de que 3% de todos os contratos de publicidade da Petrobras eram desviados para pagamento de propina.

Wilson Santarosa, que comandava a Gerência Executiva de Comunicação Institucional, ligado diretamente a Lula e a Luiz Marinho, atual candidato a governador de São Paulo, era responsável pelos desvios, segundo o ex-ministro.

“Em sua gerência, foram praticadas ilicitudes em conjunto com as empresas de marketing e propaganda. Empresas destinavam cerca de 3% dos valores dos contratos de publicidade ao PT através dos tesoureiros”, escreveu o delegado ao relatar as afirmações do delator.

O delator contou que o PT gastou R$ 1,4 bilhão para eleger Dilma em 2010 e 2014, enquanto o valor declarado na Justiça Eleitoral foi de R$ 503 milhões.

Palocci garante que Lula sabia de todo o esquema e que, um dia, foi convidado pelo então presidente a ir ao Palácio do Alvorada para, “bastante irritado”, reclamar que havia tido ciência de que os diretores da Petrobras Renato Duque e Paulo Roberto Costa estavam praticando diversos crimes no âmbito das suas diretorias.

Ao ser indagado pelo então presidente se a informação era verdadeira, Palocci teria confirmado e, após questionamento, afirmado que o próprio Lula havia indicado ambos para os cargos.

Palocci também relembrou a Lula que ambos os diretores estavam agindo de acordo com parâmetros que já tinham sido definidos pelo próprio PT e pelo PP e que acredita que Lula agiu daquela forma porque as práticas ilícitas dos diretores da estatal tinham chegado aos seus ouvidos e ele queria saber qual era a dimensão dos crimes.

Deu em JOTA

Ricardo Rosado

Descrição Jornalista